- sem título -

não imaginava que tipo de força a matinha de pé. esperava o grito e não o ouvia; esperava a lágrima que não vinha. guardava a dor, solitária.

o verme crescia na garganta enquanto ela calava e a morte chegava devagar como solução para a traição - mil punhaladas com lâmina cega pelas costas. o sangue vivo no corpo morto, fervendo, pulsava mais branco que vermelho. e a vida, que deveria ser colorida, passava monocromática e sem dó de fazê-la flor despetalada.