desobrigada

porque no mundo,
no obrigado
não há abrigo pro prazer